MÃE, FINALMENTE, ESTAMOS APRENDENDO A SER FILHOS

Ative as notificações para receber nossas mensagens. Clique no sininho ao lado da postagem.

Por RAMINA EL SHADAI

Amanheci, sentindo essa frase: Mãe, finalmente, estamos aprendendo a ser filhos!

Poderia ser estranho, mas fiquei o dia todo sentindo o propósito de uma mensagem dessa e que não deveria ser nada rasa.

O que seria aprender a ser filho, numa sociedade em que tantos conceitos responsabilizam e discutem o fato de aprendermos ou não a ser mãe.

Para mim foi ficando claro o sentido, a partir do momento que tudo que sinto não seria para refletir sobre os velhos padrões, mas para desconstruir algo que não se sustenta mais, trazendo uma nova forma de perceber tudo. E assim segui.

Sabe aquela história de que quando nasce um filho, nasce uma mãe? Pois é! Eu diria mais! Quando nasce um filho e uma mãe, nasce uma relação. E uma relação é um movimento de entrega, não um movimento de negação de si.

E entregamos, sempre, o que há de fortalecido em nós. Trazemos nossos processos. Todos os nossos processos. Trazemos a nossa forma de criar a nossa vida. Trazemos tudo que nutrimos, seja lá o que achamos que nos faltou e buscamos a vida inteira, ou o que estamos certos de que nos é abundante. Isso é relação.

Trazemos o quanto nos percebemos como Unidade. Porque como o outro é pra nós uma expansão do que nós somos pra nós mesmos, quanto mais estamos separados de nós, mais nos ferimos com o outro. Quanto mais estamos separados de nós, mais julgamos, mais nos separamos de tudo. Isso, em todas as relações.

“Mãe, finalmente, estamos aprendendo a ser filhos” foi pra mim como aquelas paradas de elevador mais bruscas. Um sacolejo. Uma chegada com impacto. Isso mesmo! Uma chegada com impacto. Não há lugar nenhum a se chegar, mas num novo nível de perceber as coisas, talvez.

E ser filho, nesse agora, quer dizer, ser consciente de todos os seus processos de existência, em paz com o seu passado, em paz com o que sua mãe deu conta de produzir para sua vida, em paz com a unidade sagrada.

Essa é minha nova percepção do que é ser filho.

Um ser que se relaciona com essa mãe, em liberdade, em consciência do propósito da existência do ser.

A Terra se eleva, nossos antepassados se libertam, nosso agora renasce.

Mãe, finalmente, estamos aprendendo a ser!

Somos todos filhos. Somos todos UM!

EU SOU RAMINA EL SHADAI
Conexão multidimensional
@ramina.despertar
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://luzdasestrelas.com.br/

 

CURSOS EAD LUZ DAS ESTRELAS

CONTRIBUA COM O NOSSO TRABALHO

Compartilhar:

Deixe um comentário