CAMINHOS SIMPLES PARA “DEIXAR IR”

 

Uma das quatro nobres verdades do budismo nos diz que a raiz de todo sofrimento é o apego. É um conceito profundamente simples. No entanto, muitos assumem que esta verdade se limita a um apego às coisas físicas. No entanto, também apegamos sobre noções abstratas: aos nossos egos, aos nossos desejos, às concepções de como pensamos que a vida deveria ser. Provavelmente, o apego a tais coisas intangíveis causa muito mais angústia. Elas só existem como pensamentos, impulsos e sentimentos. E, no entanto, estamos convencidos de que são reais.

A CHAVE … É DEIXAR IR.

APRENDA A ACEITAR

Às vezes, sofremos porque queremos que a vida seja diferente: a felicidade pode ser nossa se as coisas apenas mudassem para o nosso gosto. Mas a vida não tem um caminho definido e não seremos necessariamente mais felizes se o forçamos. Aprender a aceitar as coisas como elas são é uma maneira de soltar os desejos não atendidos.

Tenha em mente que a aceitação não significa resolução. Em vez disso, a aceitação é reconhecer a realidade como é,  ao invés daquela que você acha que deveria ser. É perceber o que você faz e não tem controle sobre.

ABRACE A MUDANÇA

Nós nos confortamos no familiar e a previsibilidade garante que estamos seguros. Mas a mudança é inevitável. Se alguém aprende a se acostumar às mudanças que ocorrem, libera-se de um apego ao status quo. Abraçar a mudança não significa abandonar o que é importante para você. Trata-se de saber a diferença entre o que ajuda você e o que simplesmente o abate à medida que você é confrontado com novas circunstâncias. Abandonar  o peso antigo de algo que já não se adapta a uma nova vida pode ajudá-lo a avançar.

MODIFIQUE SUAS EXPECTATIVAS

O desapontamento vem quando antecipamos muito de qualquer decisão ou evento de vida -quando percebemos que a vida não está conforme o que esperávamos. Lamentamos por um futuro e uma vida que nunca tivemos. Modifique suas expectativas.

PRATIQUE A ATENÇÃO PLENA

Fazer as coisas com atenção é levar nossa consciência e atenção à tarefa em questão. Quando você executa suas tarefas diárias de forma lenta e consciente, você deixa de lado as distrações e as emoções que o mantêm fixado em tudo, menos no aqui e agora. A atenção plena pode permitir que você não fique mais  fixado ao que está acontecendo na sua mente (seja tristeza, preocupação/estresse ou confusão). Em vez disso, você apenas observa o que está na sua frente. A atenção plena não é fácil, mas muitos acham que facilita, e por exercícios de meditação.

 

http://www.luzdasestrelas.com.br

http://www.youtube.com/c/LuzDasEstrelas

Tradução resumida: Vilma Capuano

https://www.buddhagroove.com/small-ways-to-let-go/

 

 

Compartilhar:

Deixe um comentário