AS PIRÂMIDES E OS SÍTIOS MEGALÍTICOS

Ative as Notificações para receber nossas Mensagens. Clique no sininho vermelho.

As pirâmides e outras estruturas megalíticas são construções dos povos da Federação, que deixaram informação em planetas por onde estavam suas rotas de colonização e busca de recursos naturais. Todos os planetas que receberam naves da Federação Galáctica e de outros povos das estrelas deixaram estruturas.

A estrutura piramidal permite a captação da energia primordial das estrelas que é emitida em frequências em base carbono-hidrogenio para armazenar também informação.
O regulamento dos grupos pertencentes à Federação determina que toda visita a qualquer planeta deve ser gravada dentro das estruturas megalíticas para manter os registros de expansão das atividades da Federação Galáctica.
Essa é uma das funções dos crânios de cristal na Terra, que armazenam informações desde o princípio, há mais de 3,2 milhões de anos.

Cada grupo da Federação que chegou à Terra vindo das Pleiades, Sírius Arcturus, Antares, Nunki, Altair, Canopus, Avior, Hercules, Pegasos, Merkab, Toliman, Andromeda, e outros, deixaram a sua marca na Terra abaixo dos mares, na intraterra e na superfície.

Cada grupo que chegou à Terra recuperou ou modificou conforme a sua necessidade as pirâmides e outras estruturas, para que seguissem funcionando como antenas.
Conforme a rota orbital ao redor de Alcyone se modificava, as pirâmides necessitavam de sintonização correta com os Logos Solares. 
Cada comandante desses grupos inseria nas pirâmides os códigos de comunicação de seu grupo, de forma que gerasse pontes de informação com outros planetas na rota cósmica onde os grupos de exploração da Federação estavam distribuídos, mantendo uma rede de informações e de transferência ade energia para ativar os portais (avenidas espaciais).
Alguns chamam essa energia de Vril, um dos nomes canalizados dos Nodianos e Gracyanos, dois grupos responsáveis pela construção de muitas pirâmides na Terra e em mais de 175 planetas do setor da Constelação de Órion.

Toda pirâmide tem uma geometria que opera com os códigos internos angulares do átomo primordial do hidrogênio, e depois dos que seguem em número e massa atômica.
As combinações matemáticas da estrutura fractal e de sua matemática são muito amplas e permite a transferência da energia Vril e de neutrinos entre os diferentes níveis de energia no plano físico terrestre e outras dimensões mais sutis, gerando os vórtices energéticos existentes entre as diferentes dimensões do nosso Universo.

Uma parte dos membros desses grupos de comandos ativos sobre a Terra depositaram sua porção de impressões e energia , como no K2 – Pirâmides da Bósnia. Por isso que quando pessoas se reúnem ao seu redor surgem luzes e uma energia sutil que é parte daquela depositada pelos sacerdotes que a deixaram como forma de comunicação psíquica para os grupos que estariam ali reunidos.
Funcionam como depósitos de energia e memória similares ao CD-ROM. Mas neste caso gravados com energia psíquica da mente telepática avançada desses seres.
Os seres que representam a Confederação Galáctica e Intergaláctica são de um nível de energia mais sutil, vibrando de forma similar aos neutrinos, entre a matéria e antimatéria.

Muitas das estruturas megalíticas do Peru e Bolívia, como da Ilha de Páscoa, ou aquelas ainda nem descobertas, estão intactas, e guardam arquivos de informações de antigas civilizações.

Atualmente nas pirâmides encontradas na Antártida existem mais de 12 construções megalíticas que contêm informação da localização de portais e bases da Federação. E ali estão OVNIS remanescentes de antigos grupos que construíram civilizações intraterrenas na época da evacuação do continente de MU. Por isso o interesse dos alemães nazistas na área, em 1923, que descobriram ali águas termais e OVNIS dos antepassados Annunakis, abandonados na guerra contra Molock.

Somente uma pessoa que tenha o mental calibrado com as Oitavas dessa energia conseguirá compreender a comunicação contida nos sítios megalíticos.
Uma das codificações próximas das Oitavas da frequência do hidrogênio, registradas nestes locais, é o som da linguagem dos Golfinhos e Baleias.

Os representantes na Terra chamados de Fraternidade Branca também podem comunicar-se com megalíticos e outras estruturas. 
Por isso muitas pessoas são intuídas para ir aos sítios arqueológicos para iniciações e transformações internas. 
Nestes sítios existem camadas energéticas da grade/ rede eletromagnética crística do planeta, que carregam novos vetores, os fractais de energia espiritual das pessoas que chegam para contato, para serem integrados.

Todos os seres da Hierarquia Espiritual se utilizam desses momentos junto aos humanos contatados como oportunidades para acelerar a comunicação e desenvolver o plano da ascensão de cada um dos seus iniciados.

Tradução Vilma Capuano
https://www.facebook.com/stanislov.tkachov.7?

Conheça Nosso Curso com os Cristais

Compartilhar:

Deixe um comentário