A ARTE DA AUTOCURA

Moléculas, Saúde Emocional e Intervenções Conscientes

Considere isso: cada célula do corpo humano está em constante comunicação com outras células. A forma como os sinais são comunicados é por sinais químicos ou não-físicos. As moléculas são sinais físicos (químicas) e a luz solar ou emoções são exemplos de sinais não-físicos. Com velocidades semelhantes à do som, ambos os tipos de sinais “voam” para frente e para trás, através da vasta extensão do nosso sistema nervoso, em uma base constante.

Equilibrar sua biologia e neuroquímica é parte fundamental do processo de autocura e grande parte desse trabalho é realizado através do equilíbrio e ajuste da saúde emocional. Temos opções para influenciar conscientemente nossa química interna e instigar a autocura, não negando nossas realidades emocionais, mas reduzindo nossos medos e ansiedades de maneira construtiva e seu impacto debilitante no corpo e na mente.

De um modo geral, todas as emoções adequadamente expressadas são saudáveis.

A emoção constrangedora do medo pode paralisar uma vida.

A desesperança pode matar ou dar origem à determinação.

A falta de valor pode aprisionar ou produzir compaixão.

A culpa pode alimentar a violência contra os outros e pode demonstrar o que importa.

Existem três tipos de emoções que, por definição, têm apenas impacto negativo: a culpa, a ira e o martírio.

Por outro lado, a emoção expansiva e positiva do amor pode ser uma verdadeira maravilha para contemplar e experimentar, mas também pode ser usada para controlar ou sufocar outra.

A esperança pode sustentar a vida em tempos difíceis ou manter uma influência negativa. A confiança pode impulsionar uma realidade positiva, enquanto a confiança inadequada pode destruí-la.

O lado oposto do estresse entra em jogo quando amamos o que fazemos. Quando nos dedicamos ao trabalho que é significativo e importante para nós, o estresse se transforma em positivo ao impulsionar a motivação, o crescimento e a evolução. O estresse saudável produz um equilíbrio molecular.

A BIOLOGIA DAS EMOÇÕES

Moléculas principalmente associadas a emoções expansivas:

+ Acetilcolina: Eu lembro

+ Anandamida: Estou à vontade

+ Opióides endógenos: é tão bom quando a dor pára

+ Ácido Gamma-aminobutírico (GABA): Estou comovido

+ Oxytocin: Eu sinto por você

+ Serotonina: Estou feliz

Moléculas principalmente associadas a emoções constrangedoras:

Epinefrina: Estou com medo; Dopamina: Estou motivado; Norepinefrina: Estou atento!

Cortisol: Estou estressado; Glutamato: Estou animado; Vasopressina: Estou agressivo

MOLÉCULAS PRINCIPALMENTE ASSOCIADAS A EMOÇÕES EXPANSIVAS

ACETILCOLINA é um neurotransmissor de ocorrência natural do sistema nervoso autônomo e o único neurotransmissor do sistema nervoso voluntário. Os níveis reduzidos estão associados a insônia, comprometimento da criatividade e demência nos pacientes de Alzheimer.

Muita acetilcolina pode contribuir para ansiedade, agitação ou níveis elevados de medo.

Se equilibrado, há benefícios potenciais para a saúde: Maior sensação de criatividade, capacidade de aproveitar os prazeres e paixões da vida e a saúde emocional geral. Maior capacidade de aprender e lembrar. Pode ajudá-lo a dormir. Pode reduzir o risco de demência.

Para aumentar ou equilibrar sua acetilcolina: Aprenda e use  nova (s) palavra (s) todos os dias;

Medite para aumentar o foco e a concentração; Melhore a sua memória (palavras cruzadas, enigmas, etc.); Lembre uma emoção rara em detalhes até você sentir; Pense em um sentimento que nunca teve e imagine o que parece.

OXITOCINA

A oxitocina é  a “molécula de abraço” – desenvolvimento de vínculo, proximidade, ternura e intimidade. Aumenta a confiança e a generosidade.   Reduz a pressão arterial e protege o coração nas mulheres; previne diabetes, excesso de peso e uso de drogas; reduz a sensação de dor. A intimidade reduz a inflamação e o estresse oxidativo ao aumentar os níveis de endorfina, melhora a imunidade.

Lembre-se, a “vitamina O” dura apenas alguns segundos na corrente sanguínea, o que sugere que por isso precisamos manter nosso foco na geração dela.

Como gerar “vitamina O”

Abraços- Relacionamentos-Sexo e orgasmo-Proximidade-Ternura-Intimidade-Confiança

+ Generosidade

SEROTONINA

A serotonina é um neurotransmissor especialmente abundante no trato gastrointestinal (auxiliando na regulação do apetite e no movimento intestinal). Baixos níveis estão ligados à dificuldade de encerrar coisas, controle de impulsos, fraqueza, irritabilidade, depressão e transtornos de ansiedade.

Para impulsionar ou equilibrar sua disponibilidade de serotonina: Reduza o estresse tóxico; Seja feliz! Apenas lembrar situações e memórias felizes dá um impulso. Além disso, a felicidade tende a ocorrer naturalmente quando você atende suas necessidades humanas básicas de segurança, segurança, prazer e pertencimento.

+ Exercício  + A exposição equilibrada à luz solar aumenta a vitamina D, que está envolvida na promoção da produção dela.

COMO REDUZIR HORMÔNIOS DE ESTRESSE ACABANDO A GUERRA DO MEDO E ANSIEDADE

  1. Aceite seu medo e torne-o maior

Uma maneira de diminuir o estrangulamento do medo e restaurar a saúde emocional é abraçá-lo. Tente esta técnica: Retire-se para um lugar calmo, fique confortável, feche seus olhos e respire algumas respirações profundas.

  •  Observe onde em seu corpo você experimenta medo.

  •  Qual é o aspecto (forma e cor); Você percebe um som, cheiro ou gosto de medo?

  •  Diga: “Saúdo o medo, eu o agradeço neste momento”.

  • Agora, permita que o medo cresça mais. Deixe-o tornar-se tão grande quanto quer ser.

  •  Observe seus pensamentos e sentimentos baseados no medo e acesse-os também.

  • Tente obter uma visão dos limites, das dimensões e das bordas do medo. Qual é a sua forma? Tem pontas agudas ou é como uma gota disforme?

  • Dê graças ao medo por sua intenção (seja o que for que seja).

  • Agora, liberte o medo de onde veio. Sinta que ele parte.

  • Inunde seus sentidos com compaixão, amor e gratidão.

  • Você pode tentar se encher de luz branca.

  •  Deixe a luz inundar cada célula em seu corpo e instigar a autocura.

  • Como você se sente agora?

  1. Crie um Plano B (esta técnica é melhor feita por escrito)

Identifique seu medo e deixe-o contar sua história (cada medo tem uma história). Faça as seguintes perguntas e escreva as respostas, em detalhes:

  • E se eu falhar? (crie um plano B, divida-o em pequenos passos que você pode realizar)

  • O que acontece se eu não fizer nada?

  • O que acontece se eu tiver sucesso?

Essa simples ideia de escrever geralmente permitirá que você dê dimensões ao seu medo e permite que você perceba que o medo não tem que ser esmagador, interminável ou todo-poderoso.

  1. Técnica do tsunami – Recuperando sua imaginação

Feche os olhos e use qualquer método de relaxamento que você gosta. Quando você inseriu a segurança do seu espaço meditativo, imagine-se no meio do seu pior cenário. Seu pesadelo está aqui e tudo está caindo aos pedaços. Veja e sinta em detalhes o que seria perder no tsunami de seu medo percebido.

Agora pare. Saia da onda de destruição e deixe-a cair abaixo de você.

Acima de você, imagine uma realidade na qual você tenha sucesso e seu melhor cenário se desenrola em vez do seu pior. Levante-o e veja e sinta os detalhes desta versão da realidade. Saia da meditação e observe como você se sente e quaisquer melhorias na saúde emocional.

  1. Gire o botão do Medo para a Admiração

Você pode não ser capaz de controlar as circunstâncias do seu medo, mas você tem controle sobre como você vai responder a ele. Em vez de responder com medo, considere admirar-se. O que pode ser aprendido com essa situação? O que o medo lhe fala sobre você, sobre os outros ou sobre os estimados valores que você quer manter? Talvez seja informá-lo que a confiança é adquirida e só deve ser dada àqueles que são merecedores dela. Talvez esteja mostrando sua motivação, criatividade, o poder da sua imaginação e o que você realmente ama.

Renda-se; Existe uma linha fina entre medo e alegria.

Respire

O medo tem um padrão específico de respiração de inalações rápidas e exalações com breves pausas no meio. Tomando o controle da sua respiração diminuirá a frequência cardíaca e a pressão arterial e, por extensão, reduzirá seu medo:

  • Respire profundamente e segure a respiração no auge da inalação.

  • Segure a respiração no fundo da expiração. Conte até cinco (lentamente).

  • Repita durante pelo menos cinco ciclos.

Estudos demonstraram que, quando tememos, limitamos nossas escolhas e fechamos muitas outras respostas possíveis. Então, desacelere seu pensamento.

“Enquanto você continua focando seu coração e sua respiração centrada no coração, escolha experimentar um sentimento positivo”.

Por Uwe Blesching P.H.D – editor-chefe da revista Healing Times e autor da Spicy Healing

 

http://www.luzdasestrelas.com.br

http://www.youtube.com/c/LuzDasEstrelas

Tradução resumida por Vilma Capuano

Mensagem completa em:

https://www.consciouslifestylemag.com/self-healing-emotional-health-guide/

Compartilhar:

Deixe um comentário